Ansiedade Noturna

Parecia algo passageiro, mas quando você percebeu já estava refém da ansiedade noturna. Afinal, você sabe o que ela é e como identificar seus sintomas? Preparamos um texto especial para você entender e buscar o tratamento correto!

O coração acelera, vem aquele nó na garganta e com isso surge uma sucessão de pensamentos. Entre situações mal resolvidas e temores sobre o futuro, a angústia aumenta cada vez mais. Todo esse pesadelo vivido durante a ausência do sono pode ser ela: a ansiedade noturna.

Um dado recente da Organização Mundial da Saúde impressiona e não deixa dúvidas sobre a seriedade do tema: cerca de 9,35% da população brasileira sofre deste mal, o que torna o país o líder global quando o assunto é ansiedade.

Entendendo a ansiedade noturna

O mais curioso sobre este sentimento é que, apesar de surgir na calada da noite, ele está intimamente relacionado com o que vivemos durante nossos dias. Sabe por quê?

No período diurno, o córtex pré-frontal, área do cérebro voltada à execução, ao planejamento e por sentirmos e expressarmos emoções, fica mais focado em executar as atividades racionais, por exemplo, nossas atividades no trabalho. Com o fim das tarefas e o relaxamento dessa área, ela se volta às emoções.

Assim, seus pensamentos passam a estar mais conectados à parte emocional e rapidamente trazem à tona a ansiedade noturna. Com ela, surgem efeitos físicos como inquietação, taquicardia, suor, tremores e falta de ar. Além disso, existem sentimentos como medo, inquietação e angústia.

Entendeu como funciona? Mas se você ainda não tem certeza se sofre de ansiedade ou de insônia, continue lendo este texto!

Ansiedade noturna ou insônia: como saber a diferença?

Tudo que falamos até agora pode ser muito parecido com algo que você já vive. Então, é preciso tomar cuidado e não misturar insônia com ansiedade noturna.

A linha entre as duas é tênue. Na verdade, elas se cruzam quase sempre. A insônia é um distúrbio do sono que impossibilita a pessoa de adormecer de forma tranquila. Logo, normalmente ela passa mais de 30 minutos tentando dormir, sem sucesso, ou também despertando várias vezes, apesar do cansaço.

Os efeitos da insônia variam muito, mas no geral o paciente sofre de mau humor, dores de cabeça e apresenta dificuldades de concentração e memória durante o dia.

Mas onde entra a ansiedade noturna nesses casos? O fato é que o indivíduo que sofre de insônia também pode ter ansiedade, assim como o ansioso geralmente também convive com a insônia!

Por exemplo, quantas vezes não tentamos dormir e ficar descansados para um dia que promete ser cheio? A expectativa de pegar no sono e a frustração podem gerar ansiedade.

Por outro lado, em uma pessoa que já sofre de ansiedade, cujo cérebro está em ritmo frenético, é natural que o sono se afaste. Ou seja, a insônia pode ser um sintoma da ansiedade, sim!

Convivendo com a ansiedade

Quem passa por isso vive um ciclo de frustração contínua, principalmente pelo sofrimento da antecipação constante, não é mesmo? Por essa razão, a ansiedade noturna afeta todas as áreas das nossas vidas e precisa ser controlada.

Mas isso demanda que o paciente passe por um processo de mudança de hábitos e de percepção individual. Ou seja, é preciso ter consciência dos efeitos da ansiedade noturna no seu corpo.

A partir disso, você pode buscar alternativas para diminuir o impacto da ansiedade no seu dia a dia. Vamos começar hoje?

  • Faça exercícios até 3 horas antes de dormir. Isso pode ajudar a “cansar” o corpo e contribuir para uma melhor noite de sono;

  • Exercícios de respiração e meditação podem contribuir para que você alcance o estado de relaxamento;

  • Prepare-se para dormir: fuja de celulares e dispositivos, arrume sua cama com roupa de cama e travesseiros apropriados e deixe o quarto o mais escuro possível;

  • Existem alguns medicamentos fitoterápicos (à base de vegetais) que podem auxiliar no tratamento da ansiedade. Mas como todo e qualquer medicamento, eles precisam de indicação médica. Converse com seu especialista de confiança sobre essa alternativa;

  • Se demorar a pegar no sono, levante e faça alguma atividade leve até que o sono volte a aparecer. Levantar e ler um livro, por exemplo, pode ensinar seu cérebro que a cama não é lugar para ficar acordado.

Se você está sofrendo de ansiedade noturna, busque auxílio profissional. Não tente lidar com a situação sozinho. Seu corpo e seu bem-estar são muito importantes!

A saúde do corpo e da mente está interligada. É a partir disso que a Zydus Brasil inova diariamente ao propor soluções totalmente dedicadas a você e à vida.

Acompanhe nosso blog para cuidar ainda mais de sua saúde!

Fonte:

https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2018/11/12/nao-consigo-dormir-de-jeito-nenhum-e-insonia-ou-ansiedade.htm?cmpid=copiaecola

https://www.vivaalongevidade.com.br/juntos-pela-saude/6-dicas-para-acabar-com-a-ansiedade-noturna